,

Agora deu ruim: lagostas deverão ser anestesiadas antes do abate

O mundo virou uma loucura! A partir de março as regras na cozinha não serão mais as mesmas: os cozinheiros serão obrigados anestesiar as lagostas antes de colocarem o crustáceo na água fervente. É lei!

A lei que deverá pegar no mundo inteiro é de iniciativa do governo suíço que se diz defensor dos animais e deseja acabar com o sofrimento da lagosta. A exigência partiu depois que grupos defensores dos animais enviaram a proposta de lei ao governo que se sentiu pressionado e obrigado a atender o pedido.

O texto aprovado em Berna foi divulgado nesta semana pela Reuters e assustou muita gente. No documento divulgado pelo governo os crustáceos deverão ser mantidos em ambientes naturais e receberem anestesia. Confira.

“Os crustáceos vivos, incluindo a lagosta, não poderão continuar a ser transportados em gelo ou em água gelada. As espécies aquáticas devem ser sempre mantidas no seu ambiente natural. Os crustáceos devem agora ser anestesiados antes de serem mortos”.

A partir do momento em que a nova regulamentação passar a ser aplicada, as lagostas terão de ser anestesiadas com choques elétricos ou, em alternativa, os restaurantes terão de garantir que realizam uma “destruição mecânica” do cérebro dos crustáceos.

Na Suíça dos donos de restaurantes protestam contra a medida considerada absurda, conforme divulgado pelo jornal Tages Anzeiger.

No Brasil grupos do politicamente correto e defensora da causa animal querem aplicar a mesma lei que entrará em vigor, em março, na Suíça.

Um Comentário

Leave a Reply
  1. VIVA! Os ambientalistas defensores da causa animal estão de parabéns. Que DEUS os proteja.
    Não é absurda a lei que visa DIMINUIR o sofrimento da lagosta. É de cortar o coração, a alma, o espírito, saber que os pobres animais morrem na maior agonia em água fervente para satisfazer os barrigudos clientes ricaços e os donos de restaurantes.
    O Brasil precisa adotar a mesma medida.
    VAMOS ESPALHAR.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *