,

Arrombaram o cofre do FIES no governo Lula

O Financiamento Estudantil (FIES) que serviu de moeda política para captar votos durante as eleições presidenciais de Lula e Dilma Rousseff também foi alvo da inescrupulosa ação de políticos quadrilheiros.

O Tribunal de Contas da União (TCU) calculou a estimativa de um rombo bilionário da ordem de R$ 20 bilhões entre 2009 e 2015. O saldo negativo coloca em situação de risco os projetos da Educação em todo território nacional.

‘Não posso deixar de destacar minha indignação com o descalabro na gestão do FIES’, disse a relatora do processo no TCU, ministra Ana Arraes, durante a sessão de análise do parecer. “Descalabro”, como podem ver foi o termo mais adequado encontrado por uma servidora pública que apurou os números.

Os responsáveis foram identificados e intimados, são eles: Fernando Haddad, Aloízio Mercadante, Miriam Belchior, Nelson Barbosa e José Paim, todos considerados figuras ilustres nos governos PT/PMDB. Eles terão que apresentar justificativas para o prejuízo nas contas da CEF.

O FIES representa em algumas agência da Caixa Econômica Federal cerca de 90% da inadimplência.

Outro detalhe que merece destaque é a constatação da auditoria do TCU apresentada no relatório final: ‘É certo que o FIES passou a ser visto não apenas como oportunidade de acesso ao Ensino Superior, mas também como chance de realização de negócios’.

A manobra fiscal detectada pelo TCU indica que os governos Lula e Dilma, apenas com os contratos firmados até 2015, também ocultaram um passivo de R$ 55 bilhões com as universidades privadas que deve ser pago pelo Tesouro Nacional até 2020.

(fonte: Estadão)

Um Comentário

Leave a Reply
  1. Esta bosta do TCU não fez nada então, desde 2009 ou logo depois do primeiro golpe. Esperou o Moro? Era conivente? É claro que sim. Obedecia em tudo os presidentes fajutos e corruptos. Ele deve ser punido tb. é claro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *