,

Assessor de Sérgio Cabral também é acusado de ser mandante da morte de jornalista. Entenda

Ary Ferreira da Costa Filho acompanha Sérgio Cabral há muito tempo. Esteve nomeado como assessor em seu gabinete no Senado. Assim que Sérgio Cabral assumiu como governador foi nomeado Assessor Especial, com status de subsecretário no gabinete do governador. O jornalista e religioso cubano Rafael Zamora Diaz, de 51 anos foi assassinado com sete tiros de calibre 9mm, na noite de 2 de fevereiro de 2011, na Ladeira dos Guararapes, no Cosme Velho, onde vivia com seu filho de 20 anos, Rafael Humberto Zamora Abreu. Nada foi levado da vítima.

Zamora morava no Rio há 20 anos. Em dossiê entregue a deputados na Assembléia Legislativa, em setembro de 2009, Zamora se disse ameaçado por um policial civil. Na mesma época fez denúncia à Comissão de Igualdade Racial da OAB identificando como o autor das ameaças Ary Ferreira da Costa Filho (Arizinho, como gosta de ser chamado), na época, assessor do governador Sérgio Cabral. Em depoimento na Delegacia de Homicídios, no inquérito nº 152, Clemente Flávio Zamora Diaz, irmão da vítima, afirmou que no início de 2010, a vítima começou um relacionamento amoroso com Ione Brasil de Macedo, amante de Arizinho, assessor de Cabral. Disse também que seu irmão depois de começar a namorar Ione sofreu uma prisão por policiais da Delegacia de Proteção ao Meio-Ambiente por porte ilegal de armas e munições (RO 200-00-211/2010), (processo da 19ª Vara Criminal nº 014369728.2010.8.19.0001).

Segundo a namorada oficial de Zamora, Ellen da Silva Romanelli Ferreira a arma e as munições foram plantadas por policiais civis interessados em incrimar Zamora por causa de seu romance com a amante de Arizinho. Através de fotografias ela reconheceu Robson Marcelo Figueiredo e Marcos Valério de Azevedo Barbosa, Éder Miranda Santos, além dos policiais civis André Vieira Schlegel e Conrado Zimmerman Coimbra, como integrantes da diligência que culminou na armação contra Zamora. Segundo ainda o depoimento Ellen e mais duas testemunhas, Zamora recebia ameaças de Ary por telefone e pela internet há cerca de um ano.

Apurações reservadas chegaram à conclusão que o motivo pelo qual Ary teria mandado executar Zamora não tem nada a ver com crime passional. É que sua ex-amante teria contado a Zamora a forma ilícita como Ary enriqueceu rapidamente sempre trabalhando ao lado de Sérgio Cabral.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *