,

Aviões de refugiados venezuelanos para São Paulo

Por que o governo não enfrenta Nicolás Maduro?

O ministro da Defesa, Raul Jungmann, esteve reunido com autoridades em Roraima para buscar encaminhar a questão dos refugiados venezuelanos. Jungmann definiu que São Paulo será um dos destinos para abrigar a multidão que foge da narcoditadura de Nicolás Maduro.

A preocupação das autoridades é com a identificação dessas pessoas. Há informações que narcotraficantes aproveitam o movimento para infiltrarem seus aliados e organizarem novas frentes de distribuição de armas e drogas.

São Paulo não vive seu melhor econômico. Metade dos impostos do Brasil vem de São Paulo e Rio de Janeiro, os dois estados são responsáveis por 49% de tudo que é arrecadado. O Rio vive uma grave crise institucional que prejudicou fortemente sua receita. Em São Paulo a situação não é muito diferente.

A Lava Jato poderá abrir uma enorme frente de investigação sobre as principais obras em São Paulo. Caso isso ocorra, o efeito será devastador nos principais setores e deverá gerar mais desemprego com o fechamento de empreiteiras.

A chegada de refugiados venezuelanos, a crise econômica e a ineficiência do poder público são os ingredientes principais que poderão contribuir para o aumento da criminalidade.

Será que esse é o momento exato para abrigar tantas pessoas?

Por que o Brasil não faz um enfrentamento direto contra a Venezuela para demover o narcoditador venezuelano do poder?

São Paulo está preparada para receber uma onda de refugiados?

O ministro Jungmann garante que tudo será feito de forma coordenada pelos agentes envolvidos na operação. Entretanto é bom destacar que o Brasil não dispõe de efetivo para dar segurança nos estados, tampouco na fronteira. De onde sairá essa equipe?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *