,

Brasil sob o risco de não ter eleições em 2018

O ministro Gilmar Mendes, segundo a Folha, recebeu uma sondagem do presidente Michel Temer sobre a possibilidade de mudança do regime para o semipresidencialismo. Temer junto com seus aliados atua nesta direção desde que assumiu à Presidência.

No semipresidencialismo existe a figura do primeiro-ministro que dividirá as decisões com o presidente. Entendeu?

É impossível acreditar que tantos deputados estejam votando em questões impopulares sem antes saber que não haverá eleições em 2018. É só analisar. O que a sociedade imagina ser uma afronta, é a certeza de que eles estarão no cargo por mais alguns anos.

A porta para instalação no Brasil de um regime semipresidencialista foi aberta na semana passada quando o ministro Alexandre de Moraes ressuscitou uma ação que questiona se o Congresso poderia mudar o sistema de governo, mesmo tendo sido rejeitado em 1993 através de plebiscito. Há informações que a resposta está pronta: sim!

Caso isso ocorra e a previsão sobre a resposta do STF seja confirmada, Michel Temer e, principalmente, Aécio Neves estão prontos para uma ação que irá suspender as eleições em 2018 para mudar o regime para o semipresidencialista. Na direção dessa mudança haverá a prorrogação de mais 2 anos de mandato para todos os cargos eletivos de deputado, senador, governador e presidente.

Nos bastidores essa saída é considerada perfeita para ajudar todos os envolvidos em corrupção que estão sendo investigados pela força tarefa da Lava Jato. São mais dois anos de foro privilegiado e a possibilidade real da impunidade ser estabelecida de forma legal.

A reunião entre Michel Temer e Gilmar Mendes foi tratar da mudança de regime.

7 Comentários

Leave a Reply
  1. E o que importa pra essa galera o que é legal, ou não!? Tendo que conviver com essa realidade transmitida ao vivo as maracutaias e o cinismo planejando ainda extensão de tempo pra continuação do esconderijo por foro privilegiado, carta favorável a perpetuar o desmando e aconchego de pais, filhos, netos, irmãos sem apresentar serviço.

  2. Se os militares não fizerem uma intervenção provisória para restabelecer a independência e a soberania do país e a segurança da população brasileira é porque também estão submetidos e com camisa de força.
    E se a população brasileira não se levantar agora estaremos dentro de uma convulsão social e uma possível ditadura venezuelana.
    Michel Temer não quer deixar o poder antes dos 80 anos devido sua prisão.
    Esse psicopata tinhoso ouve todos interlocutores e observa suas fraquezas e explora e está com todo o bando nas mãos.

  3. Eu não vejo reação do Povo Brasileiro. Estamos amortecidos, aceitando tudo. Na há manifestação no país. Só nas redes sociais por uma dúzia de pessoas indignadas com a situação. Eles continuam rindo da nossa cara. Se uma grande maioria ainda vota num Lula da vida é porque a ignorância é maior do que se imaginava.

  4. Seria o prenúncio da tomada do Estado pelas FFAA. Tomara que isso aconteça, pois, quando dizem que aqui temos democracia, nada mais do que um falsa verdade dessa pseuda ilusão que vivemos. Em tempo: como o Governo não ajusta o aumento real desde 2015 daquela tabela do IR vinculado aos salários, logo quem ganha 2 salários-mínimos vai pagar imposto de renda. Por que já não taxam aos que ganham também apenas um? Como diz o gaúcho: “Que barbaridade, tchê!”Portanto, viva o Brasil da esculhambação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *