,

Brasil virou Venezuela: Globo divulga mentiras e o Facebook não pune

O Grupo Globo está no centro de um enorme escândalo de corrupção investigado pelas autoridades americanas, francesas e suíças, é o caso #Fifagate sobre o pagamento de propinas para dirigentes esportivos em troca de exclusividade nas transmissões. Para sufocar a repercussão do escândalos e tentar diminuir a pressão sobre eles, o grupo Globo vem incentivando empresas como Google, Facebook e Twitter censurarem as redes sociais com o pretexto da divulgação de “fake news”.

Mais “fake news” do que os veículos chapa branca divulgaram para enganar o povo nesses anos de PT, PMDB e PSDB no governo, é impossível. Recebiam verbas públicas para informarem inverdades.

Agora uma outra ameaça surge no cenário político: a candidatura de Jair Bolsonaro.

O deputado federal Jair Bolsonaro é pré-candidato ao cargo de presidente da República e sua candidatura cresce de forma espontânea, natural. Nas redes sociais ele é imbatível. A disputa ganhou contornos de rivalidade com o grupo Globo a ponto do jornalista Lauro Jardim publicar uma mentira na página do jornal e veicular aquilo como se fosse verdade.

Bolsonaro desmentiu Lauro Jardim da mesma forma que vem desmentindo Veja, Exame, Época, IstoÉ, todos com páginas nas redes sociais cujo alcance não tem sido censurado pelas empresas Facebook, Google e Twitter.

Hoje o jornalista Lauro Jardim, no mesmo O Globo, divulgou uma “fake news” sobre o pré-candidato Jair Bolsonaro. A notícia foi desmentida pelo ex-capitão do Exército, que teve que enviar uma nota a vários sites que republicaram a informação.

É notória a manobra que a velha imprensa controladora quer fazer: manter o monopólio da verdade deles.

Na Câmara dos Deputados há um grupo de parlamentares reunido com a proposta de fazer diligências na sede das empresas do Google, Facebook e Twitter, em São Paulo. A ideia é checar de perto se há censura ou qualquer política que venha coibir o trabalho de produtores de conteúdo nas rede sociais que não sejam alinhados com o governo.

Será que o alcance de O Globo será censurado?

2 Comentários

Leave a Reply
  1. Fazendo parte , eu ao ingressar nas redes sociais, comecei a criticar as acoes politicas do meu pais de origem ,mesmo vivendo no estrangeiro . O resultado foi a coibicao e censura aos meus comentarios ,aonde tambem atacava a censura do “FACEBOOK” aos mesmos . Ora , somos vaquinhas de presepio , quer vivamos ai , ou fora .

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *