,

Brasileiros entregam brasileiros ilegais nos EUA. Confira isso!

A boca maldita e o comportamento individualista promovem uma verdadeira guerra entre famílias de imigrantes brasileiros que residem nos Estados Unidos da América.

O ICE, a polícia de imigração dos EUA, recebe diariamente dezenas de denúncias de brasileiros legais que entregam brasileiros que aguardam documentos ou estão ilegais no país.

Um brasileiro – cujo nome não posso revelar – narrou o seguinte fato:

“Pouco mais das oito da noite quando atendo o telefone. A voz embargada do outro lado da linha encontrava-se em absoluto desespero.

A respiração ofegante denotava que o mundo desabara às suas costas.

Senti inquietação, mas precisei ter calma ao ouvir o relato.

A ligação era da cidade de Bridgeport, no estado americano de Connecticut. A mulher, do Sul de Minas – prefiro omitir a cidade – disse que tinha sido denunciada ao ICE (polícia de Imigração) por uma “amiga”, após desentendimento no ambiente de trabalho – ambas são baby sister.

Quando estava chegando em casa, após buscar os filhos na escola, viu o ICE na porta de sua casa. Ela conseguiu escapar. O mau-caratismo é imperdoável.

Há uma guerra explícita nos EUA entre os que têm documentos e os que aguardam na fila de espera.

Um terrorismo psicológico tão devastador quanto mísseis que aniquilam civis na Síria. E após 25 anos trabalhando com Imigração, não entendo o porquê dessa deslealdade. Os brasileiros “boca maldita” são como erva daninha que precisa ser extirpada! Gente feia de alma! É preciso tirar a venda, lavar o coração e entender quais os reais valores antes do veredito de ódio! Respeito os emigrantes, tenho carinho por todos, mas repudio o ato pulha de alguns! Não tolero os cafajestes do sonho!”

Que tipo de gente é o povo brasileiro?

Você tem uma notícia? Mande pra nós.

(texto extraído do Facebook do jornalista Walther Alvarenga)

13 Comentários

Leave a Reply
    • Não entregam porque são criminosos e sim por questão de “picuinhas” pessoais e vingança barata. Nessas horas sinto vergonha de ser brasileira.

  1. Brasileiros, a pior raca que existe na face da terra e pior se julgam os mais inteligentes do planeta por ter atitudes como estas citadas acima. Nojo dessa raca na qual nasci no meio e tive o desprazer de crescer nesse meio sujo, nojento e prostituido por tudo que tem de pior no mindo.

    • Um assunto tão sério e você se preocupando com o inglês da pessoa. Que falta de empatia! “Melhor ficar calado/a e deixar que pensem que és um/a idiota do que abrir a boca e acabar com a dúvida”.

      • Acredito que é o próprio efeito do caráter nacional. Não é por acaso que NÃO temos índices evolutivos, compatíveis com a época atual. A coisa é contaminada em todos os quadrantes da nossa Terra. Enfim, vem de berço para grande maioria.

  2. Brasileiros,nos Estados Unidos,entregam outros brasileiros ao “Imigration Service” por US$ 300,00…Mau caratismo típico de raça inferior-sub raça…Tambem veja bem:Branco bandido+negro africano+indio sul americano….Queriam que desse o que?

  3. Sao traidores do seu proprio Pais. Os legais e os ilegais. Que fiquem por la. Mas qdo as coisas derem errado (e vao dar, e questao de tempo) nao venham pedir socorro ao Itamarati.

  4. QUANDO VIVIA LÁ FORA FUGIA DE BRASILEIROS NEM ME MISTURAVA…FALAVAM QUE EU ERA ORGULHOSA METIDA …PASSAVA POR BARES E RESTAURANTE DE BRASILEIROS ERA SÓ ZUEIRA MUSICAS ALTAS E GRITOS …QUEREM VIVER LÁ FORA FUJA LOCO …DE BRASILEIROS !

  5. O BRASILEIRO É BOM CARATER ATÉ DEMAIS MAS O LADO PODRE TAMBEM O É ATÉ DEMAIS!! OS POBRES QUE VAO PROCURAR UMA LUZ NO FIM DO TÚNEL SE FERRAM POR CULPA DA COXINHADA MALDITA QUE SÓ QUER SABER DE COMPRAR EM MIAMI E IR PRA DISNEY!

  6. $300,00 ? A anos atrás eram $1.000 para quem entregasse ilegais à Imigração….os tempos mudaram. Como dizem alguns nos comentários, fora do Brasil é melhor ficar longe de brasileiros, pois alguns se acham superiores por já estarem fora e querem mais é ver a desgraça alheia. Têm memória curta e esquecem que um dia também chegaram na mesma situação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *