,

Cármen Lúcia banca de boa samaritana e toma um duro recado

Texto de Claudia Wild expõe a vergonha brasileira

É de uma falta de graça colossal opinar sobre a estratosférica violência brasileira assim como fez a camarada Carmen Lúcia do STF. Em que planeta vive esta senhora?

Segundo ela, a violência no Brasil deve ser tratada com “fraternidade, justiça social” e outras baboseiras (quase indicando oficina de garrafas ‘PET’ e artesanato de miçangas para a situação).

Carminha, a sonsa-mor da República, disse: “é um grande equívoco achar que superamos a violência recorrendo a mais violência. Por isso insistimos que a atitude deve ser de não violência. Então não podemos favorecer comércio de armas, facilidade para pessoas terem armas. Nós queremos responder ao problema da violência com a justiça social, com fraternidade nos seus diversos níveis”.

Esta criatura nefasta que se faz de boa samaritana, a enviada da justiça celestial, é uma das responsáveis pelos índices absurdos de violência no país. Se ela apenas aplicasse a lei em seu desmoralizado tribunal já contribuiria e muito para que nós tivéssemos menos violência e menos impunidade no Brasil.

Estes burocratas que empanturram-se de dinheiro público e poder são os agentes que destruíram completamente o Brasil, e fizeram com que sua pouca paz social e sua mínima civilidade fossem trocadas pela absoluta degeneração moral e pelo império do crime. Eles são os responsáveis pela atual barbárie nacional. E uma vez instalado o caos, qual é a solução segundo estas ínclitas sumidades? Dê mais amor ao criminoso, lute por justiça social, mostre sua fraternidade!

Carmen Lúcia deveria dizer isto para os pais que perderam seus filhos para o crime, para as incontáveis balas perdidas. Deveria dizer isto para as vítimas sobreviventes da violência que tiveram suas vidas marcadas para sempre, pois vivem em um país onde o Estado defende bandidos, facínoras e ignora completamente os cidadãos de bem. Ela deveria dizer isto para a viúva que perdeu seu marido indefeso nas mãos de um marginal armado -“ vítima da injustiça social do Brasil” – que os comandados por Carminha – graças a uma jurisprudência qualquer colocaram na rua. Ela deveria dizer isto, olhos nos olhos, para cada familiar de um brasileiro que perdeu sua vida em virtude das políticas que ela defende.

Convença primeiro seus amados defendidos, as “vítimas da sociedade” sobre a importância da ‘não violência’ para depois dirigir-se aos inocentes indefesos pedindo-lhes mais resignação diante da garantida desgraça vindoura.

Bons tempos aqueles em que juízes só estavam preocupados em aplicar bem a lei e não em fazer proselitismo político em prol do discurso fajuto da justiça social e seus desdobramentos revolucionários.

Esta mulher é uma vergonha! Ela não se condói minimamente com as centenas de milhares de vítimas que o Estado brasileiro produz para pedir-lhes mais aceitação na hora de seguir para o abate.

A desfaçatez dos homens públicos no Brasil adquiriu ares de superioridade moral.

(texto de Claudia Wild)

4 Comentários

Leave a Reply
  1. Também é verdade que quem escreveu este artigo é um tremendo fascista e ateu. Tb não podemos ser comunistas. Apenas devemos ser cristãos autênticos para sermos felizes, plenamente durante toda vida. Acha que Deus não protege os cristãos contra a violência? É o único a dar proteção total. Façam um seguro eficiente, contrate o Cristo. Pagamento? Converta-se à Verdade que Ele ensinou. Ele disse inclusive para dar a outra face. Mas, ele disse tb para sermos puros, sermos santos como Deus é santo. Ninguém quer dar a face, ninguém quer ser santo: esta é a verdade. Todo raciocínio deste jornalista é frio e representa um pensamento à Trump. O jornalista não explicou que a juíza, meus parabéns, esteve presente à abertura da Campanha da Fraternidade cujo slogam é “Fraternidade e Superação da Violência”. É claro que o que ela deveria ressaltar é a ressocialização ou reeducação nos presídios e outras atividades paralelas como trabalho aos presos, durante e depois da prisão e assim por diante. É claro que o policial não deve oferecer a face ao meliante, mas não deve se esquecer que ele tb é criatura de Deus, somente isso. A sociedade deve procurar oferecer algo aos que estão desamparado de tudo: de verdadeira educação no lar (tanto aos pobres quanto aos ricos cujos pais não sabem educar), de empregos, do mínimo para sua sobrevivência e realmente FRATERNIDADE E SUPERAÇÃO DA VIOLÊNCIA. O que não precisamos é de discurso frio, calculista, racional e tendenciosamente ateu e até desumano. Cláudia Wil, foi vc quem escreveu tamanha sandice? O que vc tem no lugar de sua alma? Um canhão? Um coração frio como o aço? Perguntaria: vc é humana? Vc deveria viver uma semana que seja numa instituição penal pra bem conhecer a alma humana. Ali vc vai encontrar realmente uma miscelânea de desajustes de todo o tipo e quem sabe pensar grande, em como ajudar pessoas realmente necessitadas porque nada tiveram em sua vida. Reflita sobre isso e tvz vc conheça um pouco de alma humana. Saiba que este banditismo se acelerou especialmente no Rio de Janeiro porque em primeiro lugar o povo sempre foi muito acomodado (morei lá dez anos) para não dizer muito omisso ou porque apoia ditados como: “Achado não é roubado”, “Ladrão que rouba ladrão tem 100 anos de perdão”, “Antes ele do que eu” e onde, no meu tempo, os taxistas procuram saber se vc conhecia o caminho para roubar da clientela e assim por diante. Cláudia, conheça um pouco mais a diversidade da alma humana, porque povo é soma de tudo isto. Analise bem o que escrevi e verá que a juíza tem melhor formação do que a tua. Apenas ela não direcionou bem o tema, mas divulbue e propague que o importante para o mundo é: “Fraternidade e Superação da Violência”. Lamento muito se vc perdeu algum parente para os bandidos. Outra coisa: traficante deveria ser tratado bem diferente dos demais criminosos, isto sim é uma boa matéria. Prisão especial prá eles e penas multiplicadas pelo mal que fazem principalmente aos jovens e adolescentes: Cana Dura, isto sim, para estes miseráveis principalmente, como para os assassinos de policiais e mesmo de jovens inocentes. Este é outro papo, outro foco. Analise. Vc escreveu muito mal: se foi vc. E quem aprova ela tb tem as mesmas características de personalidade.

  2. O que esperar de MINISTROS que ocupam cargos por terem sidos apadrinhados, sim porque as mesmas pessoas que os colocaram lá, são os mesmos MARGINAIS que agora eles vão falsamente julgar e depois libertar……amigo: uma SUPREMA CORTE que é chamada de COVARDE por um TRANQUEIRA e nada acontece, isso nos remete a pensar que este adjetivo partiu daquele VAGABUNDO que é seu MENTOR e DONO…..toda a NAÇÃO reconhece que grande parte daquela CASA é a CASA dos sem VERGONHAS, aliás a maioria deles nunca tiveram, eles só se mostram PODEROSOS frente ao coitado que é HONESTO e TRABALHADOR, mas ARREIAM as calças para BANDIDOS que ora foram ou ainda são PODEROSOS…….o DR MORO, toda a EQUIPE da LAVA JATO e a grande MAIORIA dos MAGISTRADOS HONESTOS da NAÇÃO são nosso exemplo de HONRA, LISURA e DIGNIDADE.

  3. Essa ministra que hoje preside um dos 3 .Poderes da República,o Judiciário ,náo destoa em nada dos demais chefes do Executivo e o Legislativo.
    Todos são a cara de quem os elege.
    Quatro décadas não serão suficientes para restaurar os efeitos da devastação que nos coloca entre os países mais atrasados do planeta provocada pela
    poeira radioativa da falta de ética e da ignorância .

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *