,

Casa de “santos”: 500 investigados e 16 condenados desde 1988

O levantamento feito e apresentado pelo Congresso em Foco é deixar qualquer um de cabelo em pé. A classe política brasileira criou no Brasil o maior sistema de impunidade já visto em países democráticos.

A teoria da separação dos poderes criada pelo filósofo Montesquieu para permitir aos três poderes (Legislativo, Executivo e Judiciário) autonomia e independência é o argumento mais utilizado na democracia brasileira para livrar políticos de julgamentos que poderiam levá-los à cadeia.

Desde 1998, de acordo com dados do Congresso em Foco, apenas 500 parlamentares foram investigados e, pasmem, somente 16 tiveram condenação. A primeira condenação por corrupção ocorreu em 2010.

A sensação de impunidade que varre o país ainda fica quando apenas 8 dos dezesseis condenados cumprem a sentença. A outa metade luta para se livrar da condenação.

Durou 22 anos pra acabar nisso

O Brasil não sabe mas o senador Fernando Collor até novembro do ano passado respondia por três processos na Justiça. Dois prescreveram. Apenas um estava em curso até que os ministros concluíram que as provas não eram suficientes para comprovar a culpa dele. Resumo: Collor está livre.

A prescrição é o instrumento principal que tem permitido a projeção do império da corrupção em todo território nacional. Os estados viraram esteio de corruptos que buscam de 4 em 4 anos a perpetuação no poder.

O STF tem sido o principal colaborador.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *