,

Charlinho do PMDB: o vendedor de cocada que ficou bilionário com corrupção

Veja como é fácil ficar rico na política

A história de Charlinho do PMDB, vendedor de cocada, que ficou milionário depois que foi apadrinhado e entrou para a política. A reportagem foi feita pelo #SBT Rio que desemprenha papel jornalístico invejável.

O município de #Itaguaí, no Rio de Janeiro, entrou no radar da Lava Jato após delação premiada de um dos presos pela Polícia Federal. A cidade recebeu R$ 20 bilhões nos últimos dez anos e nada mudou onde era a esperança de uma vida melhor.

A Polícia Federal investiga um mega projeto que foi criado na época que o prefeito #Charlinho, do PMDB. A promessa do prefeito de Itaguaí era de que a cidade, que mais recebeu investimento dos royalties do Petróleo, seria a capital do emprego.

Itaguaí com pouco mais de 120 mil habitantes foi estranhamente escolhida para receber diversos investimentos pesados, sendo um deles a construção de uma base para submarinos. Isso mesmo! Uma base para submarinos em Itaguaí. O MPF investiga a obra que nunca saiu do papel. Orçamentos bilionários foram destinados ao Pró-sub para construção do primeiro submarino nuclear do Brasil. Os gastos já chegaram a R$ 14 bilhões. Por enquanto a Marinha apenas constrói submarinos convencionais. O outro, o nuclear, está apenas no papel.

O desenvolvimento que foi prometido pelo prefeito Charlinho do PMDB jamais chegou ao município de Itaguaí. Moradores reclamam pela falta de médicos, professores e limpeza urbana. Os servidores estão com pagamentos atrasados.

A única coisa que evoluiu foi a conta bancária de Charlinho do PMDB. O patrimônio do antigo vendedor de cocada obteve um salto de 508% em pouco mais de oito anos.

Longe de se transformar no novo Eldorado, a cidade virou um cemitério de projetos mal acabados e desvio de dinheiro público.

Carlos Bossato Junior, o #Charlinho do PMDB, é atualmente o político mais rico da Baixada Fluminense. Ele foi prefeito em Mangaratiba, cidade vizinha de Itaguaí. Lá foi condenado a 14 anos de prisão pelos crimes de fraude em licitação, corrupção passiva e até associação criminosa na chamada “Máfia das Sanguessugas”, que comprava ambulâncias.

Como que a Justiça permite uma pessoa condenada ser candidato? Ninguém sabe.

Charlinho é considerado o oitavo político mais rico do estado do Rio de Janeiro. Sua declaração de bens o entrega. Coincidentemente quando a município de Itaguaí recebeu R$ 20 bilhões do Pró-sub o patrimônio de #Charlinho multiplicou. Seus bens declarados saltaram de R$ 8 milhões para R$ 25 milhões. São 20 imóveis de luxo em seu nome declarados com valores bem abaixo do mercado. Possui três empresas em seu nome cujo capital somado é de R$ 36 milhões . O prefeito do PMDB também é sócio do deputado estadual Jorge Picciani. Para entrar na sociedade da mineradora Coromandel, com sede em Minas Gerais, ele desembolsou R$ 5 milhões quase 20% do capital da mineradora avaliada em R$ 30 milhões.

Charlinho é um dos homens fortes do PMDB, no Rio de Janeiro. Ele só perde para os já presos Sérgio Cabral e Eduardo Cunha.

Como um prefeito de uma cidade pequena consegue acumular tanto dinheiro?

Obras e contratos foram feitos com empreiteiras que ganharam mais de 90% das licitações realizadas na gestão de Charlinho. Na cidade os moradores afirmam que as empreiteiras pertencem ao prefeito e estão em nome de “laranjas”.

A CGU apesar das denúncias não abriu procedimento para investigar os contratos.

(com informações do SBT repórter)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *