,

Dilma fez o diabo: clubes de futebol devem mais de R$ 2 bilhões em impostos

A primeira divisão do futebol brasileiro tem R$ 4,8 bilhões em dívidas. Os mesmos 20 times que jogaram o Campeonato Brasileiro em 2015 deviam menos da metade cinco anos atrás, em 2011. A história é quase a mesma de sempre.

Os clubes, embora tenham elevado consideravelmente suas receitas, continuam a gastar mais do que têm. Quando falta dinheiro para fechar a conta, sobe o endividamento. Mas há mais. Dívidas que tinham sido escondidas debaixo do tapete por cartolas agora foram expostas pelo Profut, a lei federal que permitiu renegociar e parcelar impostos não pagos.

O clube que mais deve no país é o Flamengo, com R$ 546 milhões em 2015. O que menos deve é a Chapecoense, apenas R$ 5 milhões. Mas a análise não pode parar por aí. O Itaú BBA, liderado por Cesar Grafietti, detalhou o perfil das dívidas do futebol brasileiro para ÉPOCA. Há o endividamento ruim e há o muito ruim. Para entender, dividimos as dívidas em três grupos: bancária, operacional e fiscal.

Quando você olha para toda a dívida da primeira divisão, vê o seguinte quadro. O endividamento operacional é o menor, em R$ 980 milhões, e se manteve no mesmo valor de um ano atrás. O bancário aumentou e chegou a R$ 1,48 bilhão.

O fiscal disparou. Os impostos devidos pelos 20 clubes do Brasileiro chegaram a R$ 2,33 bilhões em 2015, com um aumento de mais de R$ 500 milhões em relação a 2014.

O crescimento da dívida fiscal entrega um mau hábito do futebol brasileiro. Quando cartolas aderiram ao Profut em 2015 e renegociaram seus impostos devidos, o governo federal deu descontos em multas, juros e encargos que eram cobrados até então.

O valor “economizado” por clubes, como explicou ÉPOCA, é de pelo menos R$ 440 milhões. Trocando em miúdos, a dívida total subiu ao mesmo tempo que descontos foram dados pelo credor.

(com informações de Época)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *