,

Em quem você confia?

A sociedade brasileira tem presenciado a Polícia Federal realizar grandes operações levando à prisão empresários milionários e desmantelando conglomerados empresariais cuja reputação no mercado parecia ser intocável. Isso tem gerado desconforto entre figuras poderosas.

Recentemente foi possível ver a prisão do homem que já foi considerado o mais rico do país e um dos milionários do mundo. Eike Batista foi capa de revista e figura carimbada entre políticos.

Depois foi possível presenciar a prisão de uma dezena de diretores executivos da maior empreiteira do Brasil. A Odebrecht e suas “filhas” foi totalmente desmantelada dentro e fora do país. 

Marcelo Odebrecht, o jovem rico, está preso até hoje assim como Eike Batista.

Na última semana o povo brasileiro viu explodir a maior operação policial da história. Mais de mil agentes policiais federais envolvidos e servidores da Receita Federal além de outros ligados a fiscalização mexeram nos maiores grupos econômicos do setor agropecuário brasileiros. Foi uma bomba. 

A operação Carne Fraca não só paralisou o mercado de exportação como também, de acordo com informações, rompeu o monopólio do fornecimento de carne.

Por enquanto o dono da JBS e da RBF ainda não foram presos, porém há informações que a operação Carne Fraca vai aprofundar as investigações para os contratos obtidos via BNDES.

Nesse lamaçal de corrupção que o Brasil foi envolto, as ações da Polícia Federal tem sido alvo de críticas de políticos e as vezes não contam nem com a declarada simpatia do presidente Michel Temer que preferiu ir até uma churrascaria ao invés de ir condecorar cada policial que atuou no caso.

Na semana passada o ministro da Agricultura chamou de “idiotice” o trabalho da Polícia Federal numa clara demonstração de desrespeito ao interesse público.

O que você acha dessa declaração e da atitude do Governo e querer desqualificar a Polícia Federal?

Em quem você confia?

Compartilhe essa postagem para que seus amigos também opinem a respeito.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *