,

Estado de guerra: 600 pessoas baleadas de janeiro a março

O Rio de Janeiro é pior do que a Síria em números de pessoas atingidas por disparos de armas de fogo. De acordo com dados da Secretaria Nacional de Segurança, somente no primeiro trimestre deste ano mais de 600 pessoas foram atingidas por tiros.

A informação ainda é mais grave quando os dados revelam que os projeteis que atingiram essas pessoas partiram de fuzis AR-15, o que coloca o estado numa estatística de guerra.

Armas de grosso calibre como o fuzil AR-15 somente deveria ser utilizada em zonas de guerra. É comum encontrar no Rio de Janeiro, nas comunidades, traficantes portando fuzis e outros artefatos, como granada, que jamais deveriam estar nas mãos do tráfico de drogas.

O uso de fuzil é de exclusividade das Forças Armadas ou pelo menos deveria. O arsenal utilizado em área urbana nem sempre oferece chance de sobrevivência ao atingido. A maioria das pessoas atingidas por armas de fogo no Rio de Janeiro chegam sem vida nos hospitais. O óbito ocorre no próprio local do trauma.

O estado faliu

A capital carioca é a certeza mais clara da falta de comando e controle dos governos federal e estadual sobre a política de Segurança Pública. Não há mais condições de segurança no Rio de Janeiro.

Os policiais militares sobrevivem em meio a uma guerra desproporcional contra o crime organizado que avança com força total sobre a população.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *