,

EUA quer o fechamento da JBS em território americano

A JBS começa agonizar nos Estados Unidos da América. A reviravolta no Brasil provocou uma onda enorme de desconfiança no exterior. O Grupo J&F corre sério risco de ver todas as unidades da JBS no exterior interditadas.

Autoridades americanas desconfiam da possibilidade do ex-procurador Marcelo Miller ter atuado como um agente duplo negociando acordos dentro e fora do Brasil.

Miller era o interlocutor que atuava nas negociações entre o Ministério Público Federal e os americanos.

Nos Estados Unidos da América a lei impõe pesadíssimas multas para empresas envolvidas em esquemas de corrupção.

As operações da JBS no exterior correspondem a 87% de tudo que a empresa arrecada. Uma possível intervenção nos EUA colocaria as ações no chão o que provocaria a falência.

Os irmãos Batista têm 56 fábricas em operação nos EUA além da marca SWIFT.

A lei americana que regulamenta operações comerciais não permite que empresas de lá se envolvam em operações fraudulentas em outros países. Caso seja comprovada a idoneidade da JBS a autoridade americana pode pedir o fechamento das fábricas e a prisão dos envolvidos.

O acordo nos EUA ainda está suspenso em razão da prisão de Joesley e Wesley Batista.

2 Comentários

Leave a Reply
  1. A concorrência dos ianques não tolera estrangeiros bons de negócio, corrupção é só um detalhe. A corrupção deles é tolerável, mas são implacáveis com a corrupção alheia.
    Como ocorre por aqui.

  2. Eu acho quem dar emprego tem ser valorizado, a JBS emprega milhares de pessoas no mundo e no Brasil, em vez de punir os empresários, prende os ladrões de Brasilia que é melhor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *