,

Governo financia exposição que faz apologia à pedofilia

O Ministério da Cultura colocou seu selo numa das mais criminosas exposições de material de “arte” que faz apologia declarada à pedofilia além de outras aberrações. A renúncia de receita foi concedida pelo Minc ao banco Santander.

No próprio site do Ministério da Cultura é possível constatar que mais de R$ 1 milhão deixaram de ser recolhidos aos cofres da União em impostos para financiar a aberração cultural promovida em Porto Alegre.

A sociedade já manifestou que não deseja isso

Sob o pretexto de defesa dos direitos dos homossexuais a tal exposição #Queermuseu colocou telas, gravuras e textos onde remete ao abuso sexual de crianças e animais. A reação contrária da sociedade foi imediata. A reprovação deverá custar ao banco a retirada de diversas contas de clientes que manifestaram repulsa.

No link do site do Ministério da Cultura a seguir, você confere o processo de concessão do benefício fiscal da Lei Rouanet da grana que o Banco Santander usou para financiar a exposição, o que significa que a instituição financeira não recolheu impostos sobre esse valor:

http://versalic.cultura.gov.br/#/projetos/164274

2 Comentários

Leave a Reply
  1. No Brasil, e esta exposição ( se é que pode-se chamar este lixo de exposição ) prova de maneira cabal, que o que não deixa de crescer é a imoralidade. E o uso de recursos públicos para estas coisa aumenta mais ainda este fato. E agravando esta situação, temos um banco, no caso o Banco Santander, beneficiando-se do fato. TRISTE MOMENTO.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *