,

Lauro Jardim avisa: “vem mais por aí. É de cair o queixo”. Confira

Foram três semanas de busca de informação, confirmação de fatos, checagem de dados, viagens para Brasília e muitos telefonemas. Pouco sono, também, especialmente nesse três dias que antecederam a revelação do caso que abalou a República, está prestes a derrubar um governo e já atingiu em cheio um Senador.

Como se percebe, foi intenso o trabalho do jornalista Lauro Jardim, de O Globo, desde que soube pela primeira vez que os irmãos Batista, donos da JBS, tinham decidido contar a verdade sobre a relação deles com alguns dos homens mais poderosos do País.

Apesar de acompanhar passo a passo o processo que culminou com a homologação da delação premiada de Joesley e Wesley Batista, Jardim disse, em entrevista ao Jornal da CBN, que ficou perplexo, assim como o povo brasileiro, com o material que teve acesso, em primeira mão. “É de cair o queixo, muito impressionante”, comentou, antes de confirmar que muito mais vem aí.

Assim como chamou atenção dele e de seu adjunto, Guilherme Amado, que colaborou na investigação jornalística, eu, você e, imagino, toda torcida brasileira ficamos estarrecidos com o fato de, mesmo após as denúncias, prisões e condenações que assistimos na Operação Lava Jato, autoridades como o presidente da República Michel Temer (PMDB) e o presidente do PSDB – a esta altura ex-presidente -, senador Aécio Neves, continuassem exercitando práticas irregulares.

Os casos denunciados em gravação ocorreram em março, agora há pouco, sem pudor nem prevenção.

Aécio é acusado, por exemplo, de pedir R$ 2 milhões a Joesley para pagar as custas de seu advogado de defesa na Lava Jato. Ou seja, pediu dinheiro por fora para se defender da denúncia de ter recebido dinheiro sujo, no dia 24 de março.

Temer, após insistência de Joesley, o recebeu em casa e na conversa com o empresário tratou de uma mesada para calar a boca de Eduardo Cunha, na cadeia em Curitiba. “Tem que manter isso, viu?” – alertou o ainda presidente da República diante da possibilidade do dinheiro deixar de ser pago ao deputado cassado.

Ouça a entrevista com o jornalista Lauro Jardim, que foi ao ar no Jornal da CBN:

Um Comentário

Leave a Reply
  1. Quanto esse Lauro Jardim levou dos irmãos Bstista nessa mutretagem? Guilherme Amado é reporter investigativo comprado e seus trabalhos não se baseim na verdade. Os donos da JBS não fpram presos por quê? São corruptores e até sairam do país. Temer não presta, assim.como TODOS OS POLITICOS mas tem algo com cheiro ruim.nessa estória toda. Quem pegou empréstimo no BNDES e mentiu não merece toda essa credibilidade. Só quem já tentou pegar um aporte financeiro no BNDES sabe que sem contrapartida ($$$$$$$) o dinheiro não cai na conta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *