,

Michel Temer investe contra Sérgio Moro

O ordem é salvar os três aliados do PMDB

O presidente Michel Temer após colocar seus escolhidos na Procuradoria-geral da República e na Polícia Federal, agora quer interferir diretamente no Poder Judiciário. O objetivo de Temer é colocar em liberdade seus três aliados: Eduardo Cunha, Eduardo Henrique Alves e o seu pupilo Rodrigo da Rocha Loures.

Temer deu ordens para seus assessores atuarem no sentido de impedir que Edson Fachin continue encaminhando os inquéritos envolvendo seus três aliados ao juiz federal Sérgio Moro, em Curitiba. Fachin, nesta semana, sinalizou na direção de enviar os inquéritos para Curitiba. Temer mandou parar.

Nos corredores do Planalto a conversa é que o presidente busca meios para frear o trabalho do juiz federal em Curitiba. Segundo informações, a primeira instância em Curitiba é uma das poucas forças de resistência que ainda mantém o oxigênio da Lava Jato.

Uma alternativa que o governo tem buscado para frear a Lava Jato na primeira instância é a promoção do juiz Sérgio Moro com objetivo de parar as investigações.

Na prática, caso o pedido do presidente seja aceito, isso significa paralisar o processo contra alguns investigados, como os ex-presidentes da Câmara Eduardo Cunha (PMDB-RJ) e Henrique Alves (PMDB-RN), o ex-ministro Geddel Vieira Lima (PMDB-BA) e o ex-assessor presidencial Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR). Isso ocorreria enquanto Temer continuar no cargo de presidente, impedindo ainda que o juiz federal Sergio Moro, responsável pela Operação Lava-Jato na primeira instância, toque o processo.

Um Comentário

Leave a Reply
  1. Eu já estou começando a pensar que ele tem uma séria doença, chamada e conhecida por muitos no meio dos “TRÊS PODRES PODERES” e que “muitos políticos” tem e que a maioria dos brasileiros desconhece, a tão famosa entre ELES. “DMTPP”. (DEMÊNCIA MENTAL PELO PODER)!!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *