,

O Brasil de Lula, Dilma e Temer: suicídios aumentaram 12% no país

Quando o governo abandona o seu povo o resultado é esse

No Brasil, 11 mil pessoas em média tiraram a própria vida por ano. De acordo com o primeiro boletim epidemiológico sobre suicídio, divulgado hoje (21) pelo Ministério da Saúde, entre 2011 e 2016, 62.804 pessoas tiraram suas próprias vidas no país, 79% delas são homens e 21% são mulheres. Nesse período, a taxa de mortalidade por suicídio entre os homens foi quatro vezes maior que a das mulheres.

Contudo, as tentativas de suicídios são mais frequentes em mulheres. Das 48.204 pessoas que tentaram tirar a própria vida entre 2011 e 2016, 69% era mulheres e 31% homens. A proporção de tentativas de suicídio, de caráter repetitivo também é maior entre as mulheres. Entre 2011 e 2016, daqueles que tentaram suicídio mais de uma vez, 31,3% são mulheres e 26,4 são homens.

Entre 2011 e 2015, o número de suicídios cresceu 12%. Em 2011, foram 10.490 mortes: 5,3 a cada 100 mil habitantes. Já em 2015, foram 11.736 mortes: 5,7 a cada 100 mil. Os dados são do Sistema de Informação sobre Mortalidade (SIM) de 2017.

O suicídio é a quarta maior causa de morte de brasileiros entre 15 e 29 anos, principalmente por agressões. No mundo, o suicídio é a segunda causa entre essa faixa etária.

No entanto, o problema atinge mais idosos. Segundo as informações divulgadas, a taxa de mortalidade por suicídio entre as pessoas com mais de 70 anos chega a 8,9 suicídios para cada 100 mil habitantes. O alto índice de suicido em idosos é observado em todo o mundo e pode ser associado a doenças crônicas, depressão e abandono familiar.

Outra informação preocupante é em relação à população indígena. A taxa de mortalidade entre os índios é quase três vezes maior, 15,2 por 100 mil habitantes, do que o registrado entre os brancos (5,9) e negros (4,7). A incidência é maior na faixa etária entre 10 e 19 anos, aproximadamente 40%.

Além disso, a proporção de óbitos por suicídio também foi maior entre as pessoas que não têm um relacionamento conjugal, 60,4% são solteiras, viúvas ou divorciadas e 31,5% estão casadas ou em união estável. Os dados também apontam que 62% dos suicídios foram causados por enforcamento. Entre os outros meios utilizados estão intoxicação e arma de fogo.

Apesar dos casos estarem espalhados por todo o Brasil, um dos fatos que mais chamam a atenção do Ministério da Saúde é a concentração de registros de suicídios em algumas áreas do país. Proporcionalmente, a região Sul é a mais afetada com 23% dos casos, embora responda por 14% da população brasileira.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *