,

Odebrecht entrega extratos de US$ 65 milhões em propina acertada com Temer

Os comprovantes são de uma propina que delatores dizem ter sido acertada depois de uma reunião com o então candidato a vice e os ex-presidentes da Câmara, Eduardo Cunha, e Henrique Eduardo Alves, todos do PMDB, em 2010.

É mais do que os US$ 40 milhões supostamente negociados na reunião com Temer e que já eram de conhecimento com base em informações dos executivos da empresa.

Odebrecht entrega extratos com propina de US$ 65 milhões acertada com Temer.

Os documentos estão de posse da equipe da força-tarefa da Operação Lava em Curitiba.

Planilhas apresentadas pelo delator Rogério Araújo confirmam o depósito do dinheiro sendo uma parte em contas no exterior em um banco no Caribe.

O depoimento confirma aquela versão de outro executivo Márcio Faria sobre o encontro em São Paulo, no escritório político do candidato a vice-presidente Michel Temer, em 2010. Rogério também participou desta mesma reunião.

Durante o encontro que durou cerca de 1 hora o delator afirma que Cunha disse que o contrato seria da Odebrecht porém o PMDB contaria com o dinheiro para campanha política. O que foi concordado por Michel Temer.

O acerto do contrato foi feito dentro da Petrobras com o engenheiro Aluísio Teles que pediu 3% do valor do contrato em propinas, os outros 4% seriam repassados ao PMDB e 1% foi destinado ao PT.

A Odebrecht ganhou o serviço para atuar na certificação de meio-ambiente em obras da Petrobras no exterior.

Em novo encontro Cunha exigiu que parte do pagamento devia ser feito antes da assinatura do contrato, o que não foi aceito.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *