,

Por que a Polícia Federal não quer investigar o suborno?

O que parece estar em curso é um projeto de “fake news” que sejam convenientes e muita pós-verdade para ajudar o projeto governista

É muito interessante ver a Polícia Federal atuar em conjunto com o Tribunal Superior Eleitoral e a Procuradoria-geral da República para combater a disseminação de notícias falsas com foco na internet.

A narrativa de que as “fakes news” interferem em resultados de eleições, já é uma “fake news”. Nada ficou comprovado que o presidente Donald Trump foi eleito em razão dos pseudos-ataques à Hillary Clinton. É muito ingênuo acreditar que Hillary seria aceita para presidir a maior potência mundial. Isso não tem nada a ver com gênero, pelo amor de Deus. É que Hillary sequer dá conta de segurar o canalhão do marido, vai comandar a maior democracia mundial?

O Brasil quer abraçar a mentira da esquerda americana inconformada e instalar uma força-tarefa para monitorar as notícias falsas.

Será que atuarão contra as “fakes news” favoráveis ao projeto governista?

Será que banirão as “fakes news” que beneficiarão o candidato do governo?

Por que a Polícia Federal não começa a agir logo e investiga de perto o suborno?

Se a Polícia Federal tivesse interesse real na verdade dos fatos, talvez pudesse investigar o suborno das Organizações Globo a dirigentes esportivos para obter os direitos de transmissão de grandes campeonatos de futebol, como faz neste momento a justiça norte-americana.

Nesta semana, Anthony Garotinho publicou em seu blog documentos dos Estados Unidos que evidenciam o suborno.

Vão, investiguem a Globo! Perguntem ao Garotinho se ele publicou “fake news”.

Praticamente nada surgiu na grande mídia sobre o escandaloso esquema de corrupção da Globo. Tudo partiu da blogosfera independente que anda ameaça pelo aparelho protetor e monopolista do estado.

Se alegarem que Garotinho não é uma fonte segura, apurem a documentação que ele compartilhou e mergulhem nesse escândalo. Os brasileiros querem saber tudo!

O que parece estar em curso é um projeto de “fake news” que seja conveniente e muita pós-verdade para ajudar o projeto governista.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *