,

Portugal ardeu em chamas no pior incêndio da história. Veja!

Era o inferno na Terra

Quando os dias frios começam a dar lugar aos dias mais quentes na Península Ibérica, onde está Portugal, algumas áreas sofrem com queimadas que devastam grandes áreas e coloca em risco a vida de centenas de pessoas. Nos últimos dias Portugal viveu um dos piores incêndios registrados no país nos últimos cinquenta anos, com dezenas de vítimas fatais. Em épocas quentes é comum focos de incêndio surgirem naturalmente, e segundo a Polícia Judiciária e a Guarda Nacional (GNR), as causas do incêndio desta semana são naturais.

Parecia o inferno

O incêndio deixou um rastro mortal na região central do país, com 61 mortos contabilizados até o momento, segundo informações do O Público. O fogo atingiu uma região conhecida como Pedrógão Grande, próximo ao condado de Leiria.

Outros condados também foram atingidos como Figueiró dos Vinhos e castanheira de Pêra, que focos de incêndio que duram várias horas. Algumas vítimas fatais foram encontradas dentro de seus veículos nas estradas que cruzam essas cidades, que são vizinhas. O incêndio florestal está sendo contido por 700 pessoas e quatro focos ainda estão preocupando as autoridades portuguesas em um dos piores acidentes deste tipo que Portugal já registrou. Várias pessoas feridas foram transferidas para os hospitais de Coimbra, Porto e Lisboa.

Pessoas derretiam na estrada

Algumas vítimas não conseguiram chegar ao veículo antes que o fogo se aproximasse. Ao todo, 30 pessoas morreram dentro ou próximo de seus carros na estrada que liga Figueiró dos Vinhos e Castanheira da Pêra. Três vítimas foram encontradas no cemitério e morreram asfixiadas com a fumaça que tomou conta da pequena cidade. As autoridades não souberam informar se as pessoas que estavam dentro de seus veículos estavam fugindo do fogo ou se foram surpreendidas pelas chamas. O número de vítimas pode aumentar após uma verificação do local em que as chamas arderam grandes parte de florestas de eucalipto, muito comum na região que também possui algumas nascentes e quedas d’água.

Portugal está de luto pelas vítimas e o Primeiro Ministro do país, Antônio Costa, está acompanhando tudo através da sede da Defesa Civil, em Lisboa. Várias autoridades declararam apoio a Portugal, como Macron, recém-eleito na França, além de autoridades da Espanha, Alemanha, Malta e Cabo-Verde. Antônio Costa declarou que este é o pior incêndio que o país já viveu nos últimos tempos. Os bombeiros envolvidos na operação trabalham desde a tarde deste sábado (17) para conter as chamas que devastaram três cidades no interior de Portugal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *