,

“Quem mandou matar meu irmão foi a cúpula do PT”, afirma irmão de Celso Daniel

O clima está mais tenso do que muitos imaginam

O irmão do ex-prefeito Celso Daniel incendiou a ciranda petista em âmbito nacional com a declaração explosiva sobre a morte de seu irmão.

Bruno Daniel em entrevista à Rádio Estadão que defende a tese de crime político para evitar denúncias sobre esquemas de corrupção e financiamentos ilícitos de campanha.

“A operação Lava Jato, pode lançar luz sobre o que aconteceu naquela época”, afirmou Bruno. “É necessário esclarecer por que razão a direção do PT teria remetido, através de esquemas ilícitos, cerca de R$ 6 milhões ao empresário Ronan Maria Pinto, dinheiro com qual ele teria adquirido o jornal do Grande ABC mediante chantagem ao Lula, ao José Dirceu e ao Gilberto Carvalho”, complementa.

Bruno ainda acusa o Partido dos Trabalhadores de tentar dissuadir a família do ex-prefeito de seguir pressionando pelo completa investigação sobre o caso.

“O partido fez tudo o que era possível e imaginável para reforçar a tese da polícia, segundo a qual o crime seria um crime comum. Isso foi feito por inúmeros estratagemas. Por que razão o Partido dos Trabalhadores, com pouquíssimas exceções, se portou desse jeito?”, questionou.

O irmão de Celso Daniel relatou que apenas três pessoas do PT, Hélio Bicudo – um dos autores do processo de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff -, o ex-senador Eduardo Suplicy e o então vereador em Santo André Ricardo Alvarez de não serem coniventes com os indícios de crime político.

Confira.

 

 

A respeito desse caso o que você acha que pode ter ocorrido?

Bruno está com razão?

Um Comentário

Leave a Reply
  1. Todo mundo sabe q foi queima de arquivo, como do prefeito Toninho tb, mas não apareceu ainda ninguém de saco roxo prá investigar e condenar os culpados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *