,

Quem vai prender os empresários da Globo?

A emissora aparece em delação nos EUA

O escândalo de corrupção envolvendo a Confederação Brasileira de Futebol (CBF), a FIFA e a CONMEBOL traz mais um episódio que pode abalara as estruturas da economia brasileira.

Alejandro Burzaco testemunha ouvida pelas autoridades internacionais que apuram a corrupção no esporte mundial afirmou que a Globo pagou propina aos dirigentes para obter privilégios e contratos de exclusividade na transmissão dos jogos internacionais.

O delator ainda incluiu a existência de um consórcio envolvendo outras cinco emissoras.

Jose Maria Marin, ex-presidente da CBF, está preso nos Estados Unidos da América depois que Burzaco decidiu contar tudo sobre o esquema de corrupção envolvendo a entidade e empresas de mídia.

“Ela usou os direitos de TV para expandir o seu sinal em toda a América, da Argentina aos Estados Unidos”, disse Burazco sobre o envolvimento da Globo. Ele também está preso desde 2015.

Burzaco relatou aos agentes do FBI que participou de um jantar em Buenos Aires, na Argentina, com o diretor de esportes da Globo, Marcelo Campos. No encontro todos os detalhes sobre o esquema de corrupção foram acertados. A propina antes paga somente para Ricardo Teixeira, passaria a ser dividida também entre Marin e Del Nero.

A Globo se manifestou em nota.

“Sobre depoimento ocorrido em Nova York, no julgamento do caso Fifa pela Justiça dos Estados Unidos, o Grupo Globo afirma veementemente que não pratica nem tolera qualquer pagamento de propina”, diz o texto. “Esclarece que após mais de dois anos de investigação não é parte nos processos que correm na Justiça americana. Em suas amplas investigações internas, apurou que jamais realizou pagamentos que não os previstos nos contratos. Por outro lado, o Grupo Globo se colocará plenamente à disposição das autoridades americanas para que tudo seja esclarecido. Para a Globo, isso é uma questão de honra. Não seria diferente, mas é fundamental garantir aos leitores, ouvintes e espectadores do Grupo Globo que o noticiário a respeito será divulgado com a transparência que o jornalismo exige”, concluiu.

Você acredita na idoneidade da Globo?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *