,

Requião: fotografia de preso ou bandido não pode ser publicada

O projeto Abuso de Autoridade privilegia políticos e criminosos

O senador Roberto Requião, pai adotivo do projeto de Abuso de Autoridade, em votação no Senado Federal nesta quarta-feira (19) inseriu vários textos e expressões que privilegiam presos e bandidos, e outras que incriminam delegados, procuradores e juízes.

Na ideia de Requião é “constrangedor” a publicação de qualquer foto ou imagem de um preso sendo conduzido pela polícia. A aprovação do projeto de Abuso de Autoridade na forma substitutiva deverá prejudicar o trabalho da imprensa de um modo geral, além de colocar uma capa de proteção sobre quem pratica estupros, assassinatos, furtos e roubos.

No âmbito da Lava Jato aquelas imagens e fotos de políticos e empresários sendo conduzidos jamais poderão ser publicadas podendo ser considerada crime com pedido de prisão do autor da divulgação. Requião ainda enfatizou:

“O computador não pode ocupar o lugar de um juiz”, disse ao ler o projeto.

Outra preocupação gravíssima é o avanço do PL de Abuso de Autoridade sobre os membros da força tarefa da Lava Jato. Por exemplo: um delegado de Polícia poderá ser criminalizado caso seja entendido que ele extrapolou suas funções.

Quem não se lembra do trabalho que deu a condução coercitiva de Lula?

Desta forma o projeto de Abuso de Autoridade que passou pelo aval do senador Renan Calheiros que alterou todos os itens propostos pelo Ministério Público Federal (MPF) acabará com as ações da Lava Jato sobre a classe política. Impedindo que sejam investigados pelo MPF e se tornem intocáveis aos olhos da Justiça.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *