,

Será? Prisões domiciliares para salvar Michel Temer

Dos movimentos realizados pela Justiça brasileira deixaram a sociedade com uma pulga atrás da orelha: Loures e Geddel ganharam o benefício da prisão domiciliar.

O homem da mala de Michel Temer, filmado em ação controlada pela Polícia Federal, Rodrigo Rocha Loures entrou em desespero quando viu o chão cair debaixo de seus pés com a sua prisão. O braço direito do presidente estava com uma mala cheia de dinheiro, parte de um pagamento que levaria 20 anos para terminar, fruto de uma negociação para beneficiar o grupo J&F, e jamais imaginaria que sendo amigo do “rei” poderia ser considerado criminoso.

Loures chorou, ameaçou delatar e logo ganhou prisão domiciliar. Coincidência? Melhor que seja.

Outro movimento estranho

Geddel Vieira, ex-ministro de Temer, braço do presidente em articulações, flagrado e delatado sob acusação de corrupção jamais imaginou ser preso. Homem que mandava na Caixa Econômica Federal (CEF) fez negócios escusos comprometedores que envolvem a figura de Michel Temer.

A cena de Geddel com a cabeça raspada e chorando perante ao juiz não emocionou nenhum brasileiro, mas apresentou sinais de que estava perto de uma delação premiada.

Loures e Geddel próximos de uma delação ganharam prisão domiciliar. Coincidência? Melhor que seja.

As prisões domiciliares de ambos amigos de Michel Temer e homens de confiança do presidente beneficiaram diretamente o Planalto.

Melhor acreditar em coincidências. E você o que acha?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *