,

Sérgio Moro no STF acabaria com a “proteção” do foro privilegiado

A delação bomba da empreiteira Odebrecht que estava sob os cuidados do ministro Teori Zavascki traz uma lista enorme com nomes de autoridades políticas do alto escalão que possuem foro privilegiado podendo apenas serem julgados ou presos por ordem de algum ministro do Supremo Tribunal Federal (STF).

O juiz Sérgio Moro teve dificuldades para expedir mandado de busca e apreensão e até mesmo condução coercitiva de alguns envolvidos no forte esquema de corrupção investigado pela Justiça, justamente porque suspeitos tinha foro privilegiado.

A ida do juiz para o Supremo Tribunal Federal dá ao magistrado condições plenas de emitir mandados de busca e apreensão e até mesmo expedir a prisão de envolvidos na Lava Jato.

A delação da Odebrecht, segundo o jornalista Jorge Kajuru, em entrevista a uma emissora de rádio, traz 42 nomes do PSDB, 48 nomes do PMDB e 56 nomes do PT. Esses envolvidos certamente gozam do foro privilegiado o que impede qualquer delegado ou juiz de expedir prisões preventivas para eles.

A nomeação de Moro o impede de investigar o ex-presidente Lula, o que não é tão relevante nesse momento pois´o investigado não goza de privilégios políticos ficando desprotegido e a mercê da Justiça.

Especialista avaliam que a indicação do juiz federal seria o elo principal para acabar com o corporativismo político que tenta impedir o avanço das investigações e a prisão dos envolvidos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *