,

Tira dos pobres e dá aos ricos: livro de Chico Buarque terá patrocínio de R$ 407 mil

O governo segue tomando dinheiro dos pobres e destinando aos ricos do Brasil. Mais um exemplo disso é a autorização para publicação de um livro com fotos do músico, dramaturgo e escritor Chico Buarque. A “obra” terá captação através da Lei Rouanet para recursos no valor de R$ 407 mil.

São impostos que poderiam ir pra educação, saúde , geração de empregos, moradia, porém serão abatidos e destinados para publicação do material com fotos do cantor.

De acordo com a descrição do projeto, o objetivo é “promover, através da produção de 2000 livros, ação educacional que tenha em vista a disseminação do conhecimento cultural de forma tangível à sociedade”.

A Lei Rouanet permite que empresas abatam uma parte significante de seus impostos devidos ao Governo Federal para projetos aprovados pelo Ministério da Cultura. Desde a criação da lei, o Brasil já deixou de arrecadar mais de R$ 15 bilhões que foram destinados para bancar shows, exposições de arte, filmes, peças teatrais e etc.

Qual o retorno disso para o país que tem mais 15 milhões de desempregados, altas taxas de homicídios, os piores salários na Educação e hospitais públicos completamente abandonados?

2 Comentários

Leave a Reply
  1. Num país de ignorância de pouca leitura e instrução, o benefício necessário à cultura é mal visto, pois os poderes desejam que o povo continue na ignorância. A Lei Rouanet é dos poucos benefícios que existem em prol da cultura. E por isto é tão combatida por quem não acha necessário ler um livro, ir ao teatro, concertos, exposições, etc.

  2. Num país de ignorância de pouca leitura e instrução, o benefício necessário à cultura é mal visto, pois os poderes desejam que o povo continue na ignorância. A Lei Rouanet é dos poucos benefícios que existem em prol da cultura. E por isto é tão combatida por quem não acha necessário ler um livro, ir ao teatro, concertos, exposições, etc. E eu nunca tinha escrito isto, apesar de estar acusando que eu já “disse isto”. É censura?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *